terça-feira, 24 de janeiro de 2017

QUEM NO LUGAR DE TEORI II ?

A imprensa especula só entre candidatos engajados politicamente.
Pois é hora de a Associação dos Magistrados Brasileiros, a Ajuris, a OAB Rs e demais entidades entrarem em campo para  defender a idéia de Paulo de Tarso Vieira Sanseverino para o STF.
Vamos, de início , para a Wikipédia:

Paulo de Tarso Vieira Sanseverino (Porto Alegre, 16 de junho de 1959) é um jurista e professor brasileiro, atualmente exercendo o cargo de ministro do Superior Tribunal de Justiça.[1]
Filho de José Sperb Sanseverino e Maria Thereza de Jesus Vieira Sanseverino, foi também Desembargador do Tribunal de Justiça do estado do Rio Grande do Sul, desde 1999.
Era magistrado de carreira no mesmo estado, desde o ano de 1986 e, no ano de 2010, compôs a lista tríplice para indicação a Ministro do STJ, após concorrer com outros 48 integrantes de Tribunais de Justiça a vaga destinada a esta classe. Graduou-se em Direito também pela PUCRS e posteriormente cursou mestrado e doutorado pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Dentre outras atividades docentes, além da PUCRS, exerceu o magistério na Escola Superior da Magistratura (Ajuris/RS), tendo sido diretor no biênio 2006/2007.
Esse nome é confiável. Inteligente, independente, educadíssimo.
Vamos ver se o Presidente Temer  pensa bem, deixa seus Ministros e outras figuras exponenciais o auxiliando, mas indica para o STF um juiz de escol, na verdadeira acepção da palavra.

sábado, 21 de janeiro de 2017

QUEM PARA O LUGAR DE TEORI?


Depois do editorial de Zero Hora de ontem, bem como do artigo de Cláudio Brito, pouco haveria mais a dizer sobre o magistrado exemplar, lamentavelmente falecido.

Creio, no entanto, cabíveis algumas observações sobre o perfil que deverá ter a pessoa a ser indicada para o substituir.  O exercício da judicatura não se compadece com arroubos de estrelismo, carência de elegância e afabilidade no trato com as pessoas, inclusive colegas de toga.

Sim, o juiz deve ser um bom conhecedor do Direito, mas isso não é tudo. Importa muito seu caráter, sua formação humanística, sua trajetória, dentro e fora dos Tribunais e Foros.

Quando , já como desembargador, integrava a Comissão de Concurso para Juiz,  eu defendia a tese de que não nos deveríamos ater tão só às provas teóricas quando do recrutamento. Pensava e penso que o importante é  se avaliar bem o perfil do candidato, já que ninguém pode olvidar ser o poder de julgar delegado pelo povo. É dele, povo, que emana esse Poder. Ponderação, equilíbrio, boa índole contam muito.

De alguns tempos para cá viram-se comportamentos, em vários níveis da Jurisdição, não condizentes com os mínimos princípios que norteiam o trato interpessoal. As galas e a cerimônia, essenciais a esses atos, foram relegadas para troca ríspida de apartes e até de acusações.

A televisão mostrava esses  desagradáveis eventos, que devem ter feito muito mal até nos lares em que, conquanto humildes, imperam os bons modos.

Teori sempre foi estudioso, trabalhador, sério, responsável, ótimo na sua relação com colegas, cuidadoso no que diz com a  mídia. Esta faz seu papel em busca da informação. Incumbe, porém,  ao magistrado ser lhano, mas não atropelar o devido processo legal em suas falas fora dos autos.

O Supremo Tribunal Federal  já foi integrado por homens e mulheres de notável e exemplar sabedoria tanto que, décadas atrás, era referido como o Excelso Pretório.

O modo de acesso a ele , estou convicto, deve ser repensado.  Mas isso é assunto para mais adiante. O que importa, agora, é que seja indicado alguém que, no mínimo, se aproxime do perfil do pranteado Ministro Zavascki . Alguém com irrepreensível trajetória jurídica e de preferência judiciária. O momento é grave. Mas o Presidente Temer, que não é jejuno nas lides jurídicas, ao contrário, jurista talentoso, há de bem avaliar e bem se aconselhar.

É o que se espera.

 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

AINDA O FALECIMENTO DO MINISTRO TEORI ZAVASCKI

Teori_imagem_para_site_opcao_3
Com enorme pesar e consternação a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) manifesta o sentimento de luto da nação brasileira pela morte do ministro Teori Albino Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), e dos demais passageiros que estavam a bordo do avião que caiu no litoral do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (19).
Homem de caráter e conhecimento jurídico indiscutíveis, Teori pontuou sua vida pela retidão de suas atitudes. Nos últimos anos, ensinou aos operadores do Direito e a todos que acompanhavam sua carreira na mais alta Corte do País a ser um exemplo de parcimônia e responsabilidade na atuação judicante.
Professor universitário e juiz federal de carreira, o magistrado Teori Zavascki desde 2012 exercia suas atividades como ministro do STF, sendo conhecido por sua discrição, mesmo na presidência de processos de grande repercussão. Sua morte repentina estarrece a todos.
A AMB manifesta suas condolências aos amigos, colegas  e familiares do ministro.
Jayme de Oliveira
Presidente da AMB
É permitida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo publicado no Portal da AMB desde que citada a fonte.

LAMENTO PROFUNDAMENTE A MORTE DO MEU AMIGO TEORI ALBINO ZAVASCKI

Teori formou-se pela mesma Faculdade que eu, a gloriosa Faculdade de Direito da UFRGS.
Uma carreira impecável, foi Desembargador do TRF da 4a. região, depois Ministro do STJ e, finalmente, Ministro do STF.
Era estudioso e tinha obras publicadas.
É a vida com seus percalços.
Teori era sério e do bem.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

SOBRE O STRESS DO EXCESSO DE INFORMAÇÃO

Mal do século: síndrome do excesso de informação , é o que dizem os especialistas que está acontecendo.
Parece mentira: no curto tempo em que tinha uma das residências em Santiago, RS, quase enlouqueci por não captar no meu rádio as emissoras de P. Alegre ( problema hoje sanado com os aplicativos). Me transtornava sem a zero Hora.
Passava bom tempo na frente do computador.
Até que, verificando  uma gradativa decadência do meu preparo físico, pois relaxava nos exercícios e comia mais do que precisava, decidi  mudar. 
A primeira constatação foi a de que sem saúde, nada existe mais, nem prazer, nem alegria.
E, para que ficar amealhando bens que não podemos levar para o céu?
E eu com isso, se o Inter caiu para a Segunda?. Parei de ler sobre esportes.
E eu com isso se o Trump foi eleito? Vai fazer alguma diferença na minha vida?
Tenho eu algum domínio sobre a força das tempestades ou o rigor do clima?
Alienação? Não.
Mas para que ficar escutando as tragédias por horas e horas na frente da TV?
Resumo: escuto rádio às 5 da manhã , por dez minutos,para saber se morreu o Papa ou o Moro prendeu mais um. Feito isso, deu!
Aos poucos fui mudando minha dieta, aumentando o tempo de exercícios, caminhadas, jogo de tênis, natação.
E dê-lhe frutas da estação, conversas amenas com amigos, siestas depois do almoço e de uma taça de vinho.
Há dois meses que não coloco relógio no pulso.
Há dois meses que não calço sapatos.
Há dois meses que não sei o que é gravata.
E não me fazem falta.
Ao contrário, apodera-se de mim uma euforia de viver!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

XANGRI LA : QUANTA DIFERENÇA ONTEM ( DOMINGO) E HOJE

Prévidi repercutiu , no seu mega blog, minha post de ontem.  As ruas calmas ,onde se situa minha casa, apinhadas de carros, cujos condutores deixam latas e garrafas  que nós, moradores, fizemos a gentileza de recolher hoje de manhã.
Vejam como estava nosso paraíso hoje:


E ontem, recordando:




domingo, 15 de janeiro de 2017

NA CAMPEIRA SANTIAGO DESORDEIROS FORAM REPONTADOS DE A CAVALO NO GRE-NAL JUVENIL

É por isso que o Nico Fagundes dizia que Santiago RS é o Município mais campeiro do Brasil.
Olhem só essa saborosa matéria do Site NOVA PAUTA :



sábado, 14 de janeiro de 2017

A cena lamentável do Gre-Nal

Copa Santiago - No final do Gre-Nal alguns integrantes da torcida organizada do Grêmio invadiram o gramado e correram em direção onde estavam os colorados festejando a vitória por 2 a 1. A Brigada saiu atrás deles a cavalo e "repontou" os invasores de volta a galope. Como não conseguiram brigar com torcedores rivais, alguns saíram no soco entre eles.


sábado, 14 de janeiro de 2017

ENIGMA - SE NOS CONDOMÍNIOS FECHADOS É TÃO BOM, COMO É QUE SE EXPLICA ISSO?






Sempre relutei em ir para os condomínios fechados, longe do mar,  na praia. Sempre relutei em morar longe do centro em P. Alegre; nunca gosto de me hospedar, quando viajo ao Exterior, longe  dos centros históricos.
Pois este ano os condomínios fechados de Xangri-La locaram casas à beira mar como suporte para seus condôminos: água gelada, cadeiras, etc.
Cedo da manhã seus funcionários ocupam  a praia com guarda sóis e cadeiras. 
E os moradores dos paraísos longínquos entopem as ruas com seus carros.
Dá para " eiteindeir"?
Ah! e os horários são tri saudáveis para tomar um sol: das 13 horas em diante.
Comerciais, por favor!!
( ainda bem que isso é só nos findes e no verão... arre égua)




sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

LITORAL NORTE DO RGS É TUDO DE BOM OU AS MARAVILHAS DO JAIMÃO EM XANGRI LA

( foto tirada do terraço de minha casa hoje)
Basicamente só o Prévidi, o Loeffler e eu defendíamos as excelências de nossas praias.
Há anos que  não me dou ao insano trabalho de passar dissabores nas praias além Mampituba.
Xangri La, então, está excelente.
E aqui encontrei tudo do que precisava. A Saba, para jogar tênis; o Supermercado Avenida para a carne uruguaia, O Celso Lenhas para comprar  lenha para a lareira e para o churrasco ( ele leva de caminhonete na casa do interessado).
E, finalmente, descobri o Jaimão.
O Jaimão tem um barco inflável com o qual vai diariamente, de madrugada, para o mar, aqui na frente da minha casa. Lá pelas onze da manhã ele volta com seu barco repleto de  peixes, entre os quais avulta o delicioso linguado.
Jaimão tem uma peixaria limpinha e moderna. É só chegar e tem peixe fresco e também congelado.
Graças a ele estou trocando minha dieta para frutos do mar.
Celso Lenhas - 991844107
Jaimão - 996612458

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

ACONTECEU NO BALI HAI



*
O Bali Hai é um restaurante tudo de bom, praticamente dentro do mar, na praia de Atlântida. Charmoso e poético.
Pois Maristela e eu recebemos a visita de uma amiga que, recém separada, vinha buscar um colinho. Caiu a noite e Shanielly embestou de nos convidar para jantar uma lagosta à thermidor lá no tal do Bali. Chegamos, e – hosanna nas alturas!- havia um conjunto que tocava suavemente música romântica. Casais dançavam.

 Maristela arrastou-me para a pista e Shanielly ficou secando um cara que estava com um amigo na mesa ao lado, ela mal se sofrendo com seus 30 anos e hormônios em plena ebulição.
O que ela achara interessante era um gordinho.
– vou tirar o gordinho para dançar, gemeu Shanielly.

Mas o rapaz estava animadíssimo no papo com seu parceiro de mesa e nem as horas para nossa sequiosa amiga.
Terminamos a janta, a guria quis dançar só uma comigo, respondi-lhe que corria o risco de alguém tirar Maristela e declinei. Pagamos e fomos saindo por aquele passarela de madeira. Perto do estacionamento deu um treco na Shanielly, que jogou fora as duas sandálias de saltinho e voltou correndo qual uma novilha zebua:
– vou dançarr com o gordinho, gritou num espasmo.
Eu abria o carro, pensando em qual motel eles iriam depois, quando ela voltou cabisbaixa:
-Brincadeira! o gordinho estava dançando com o amigo dele e o pior, sniff, de rosto colado….

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

REAPRENDENDO A LIDAR COM CRIANÇAS



Contingências me obrigaram a ficar com meu netinho Matheus  desde cedo hoje e por um dia inteiro.
Por sorte está em Xangri La um  amigo meu, separado, com sua filha também de seis anos.
Minha casa sempre foi uma caserna com os filhos.
Mas com netos nunca fiquei por longo tempo  os cuidando.
Usei meu velho método de que tem que comer o que está na mesa e nada de caprichos ou fast food.
Milagre.
Foi só um muxoxo e a galerinha aderiu.
Nada como os antigos métodos.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

E A MENININHA CONHECEU O MAR



Eu conheci o mar aos 18 anos.
Peguei o ônibus em P. Alegre e me dirigi a Tramandaí, numa manhã de dezembro. Inesquecível, chocante, emocionante, chorei muito.
O mar me fascina.
Mas não adentro a ele.
Sou respeitoso. Só olho.
Essa menininha é lá do interiorzão. Veio com seu pai. Hospedaram-se na Pousada do Jomar.
Fui os buscar na Rodoviária de Capão.
A menininha ficou sem respiração quando viu o mar deslumbrante de Xangri La. E, incrível:
- mas e as ondas?
O mar estava plácido e nada da tal água de chocolate,  cafajestada que imputam ao nosso majestoso mar.
Mas....
a menininha de 6 anos tinha esquecido o bikini...
Saímos em desabalada carreira atrás de um: 190 reais.Nada feito.
Passamos em uma lojinha de bóias e brinquedos. Tinha por 30 pilas.
Feito o carreto!
E agora!: ela declarou que não quer mais ir embora....
Chama o Conselho tutelar
( na foto com seu pai)

sábado, 7 de janeiro de 2017

PAMPA DEBATES GRAVADO DESDE ATLÂNTIDA, DISTRITO DE XANGRI LA



Vai ao ar semana que vem, na quinta feira, 17,45 pela TV Pampa.
Muitos assuntos, alto nível de discussão.
Tudo sob a batuta de Paulo Sérgio Pinto.
Enverguei uma camiseta da gloriosa Universidade de Heidelberg.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

DANDO CANCHA AOS POETAS DE MINHA TERRA NATAL - SANTA CRUZ

Recebi o seguinte mail:

Seu Ruy, como o sr é das bandas lá de Santa Cruz perto de Rio Pardo, encontrei uma poesia do meu amigo como acho linda e resolvi 

enviar ao amigo.

Forte abraço

--
Sérgio Luiz Pereira

Personal Trainer

CREF 9234-G/RS

51.96872932


RIO PARDO

Autor: Xavier Fritsch

 

Onde as águas do Rio Pardo

Abraçam as do Jacuí

E os galhos do sarandi

Desenham vulto nas margens,

O sol clareia a paisagem

Da praia dos ingazeiros,

Caíques sem passageiros

Descansam no velho cais,

Embalados pela paz

Que trouxeram dos pesqueiros.

 

                                                               Ao silêncio das taperas,

                                                               Os sobrados sonolentos,

                                                               Cochicham na voz dos ventos

                                                               Restos de antigas estórias,

                                                               Guardadas pela memória

                                                               Das ruas, dos casarões,

                                                               Que ainda escondem nos porões

                                                               Os ecos continentinos,

                                                               Misturando o som dos sinos

                                                               Dos clarins e dos canhões.

Até parece que o tempo

Se aquerenciou nesta terra.

Depois que foram-se as guerras

Rio Pardo se fez guarida

De tantas vidas vividas

Com o passado na lembrança;

No futuro, a esperança,

De ser feliz como agora,

Rebrotando a cada aurora

Num sorriso de criança.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

ENTRADA DE ANO NA ALEMANHA



Meu filho, Engenheiro Armando Koerig Gessinger, mora atualmente em Baden Baden, Alemanha e trabalha na Becker Avionics.
É fluente no inglês e está fazendo ótimos progressos no idioma alemão.
Conversamos todos os dias  e optamos por o fazer em alemão.
Ainda bem que fez o período escolar no Colégio Sinodal de São Leopoldo, onde se familiarizou com o idioma de Goethe.
Mas nada como a imersão para aprender uma língua.